5 motivos para considerar o recrutamento interno

Tempo de leitura: 5 minutos

O seu RH enfrenta desafios como a falta de engajamento e o turnover? O recrutamento interno pode ser uma boa estratégia para motivar os colaboradores. Neste post vamos apresentar os principais benefícios de um programa de recrutamento interno e como colocá-lo em prática na sua organização.  

Quais os principais tipos de recrutamento?

Existem basicamente três tipos de recrutamento e seleção: externo, interno e misto. O primeiro é o mais comum, quando a empresa busca profissionais no mercado de trabalho. Já o recrutamento interno é quando a organização oferece novas oportunidades aos profissionais que já integram o seu quadro de colaboradores.

O recrutamento misto é uma junção desses dois modelos, permite que candidatos internos e externos se candidatarem para novas vagas. Permitir que os colaboradores participem de processos seletivos internos costuma ser muito atrativo, principalmente para as gerações Y e Z. Esse público é conhecido por estar sempre em busca de novas experiências e desafios.

Você já parou pra pensar quantos profissionais bons a sua empresa já perdeu por falta de novas oportunidades? O recrutamento interno é uma estratégia que pode ser usada para a retenção de talentos. Ao contrário de buscar uma nova vaga no mercado de trabalho, os colaboradores podem se candidatar para outros cargos e continuar na empresa (o que não afeta as taxas de turnover).

Conheça os benefícios do recrutamento interno

Além da retenção de talentos, o recrutamento interno proporciona várias vantagens para as organizações. Listamos abaixo cinco benefícios que lhe ajudarão a avaliar se este formato de contratação é interessante para a sua empresa.

1. Redução de custos

Para encontrar os candidatos com o perfil adequado para a vaga e que tenham afinidade com a cultura da empresa, é preciso investir na divulgação. Seja cartazes, anúncios em jornais ou mesmo online, tudo isso envolve custos. Para divulgar vagas para o público interno basta um e-mail, correio eletrônico ou um material produzido internamente mesmo. Já no caso da divulgação externa, mesmo quando não há um investimento financeiro é preciso dedicar bastante tempo para a divulgação online das vagas (e tempo também é dinheiro).

2. Processo de seleção mais ágil

Para atrair um bom número de candidatos com o perfil que a empresa busca, geralmente são necessárias várias etapas. Além da etapa de divulgação, tem também as entrevistas e testes. Tudo isso precisa ser avaliado até que o RH chegue a um consenso. O recrutamento interno é um processo muito mais ágil, uma vez que a empresa já conhece o candidato. Mesmo que sejam realizados testes e entrevistas, as etapas costumam ser mais rápidas e eficientes.

3. Oportunidade de desenvolvimento e crescimento

Oferecer novas oportunidades de trabalho é um meio de motivar os colaboradores, tanto para o desenvolvimento profissional, quanto a permanecerem na empresa. Afinal, quando o profissional sabe que a organização possui oportunidades que permitem o seu crescimento, ele tende a projetar o seu futuro na própria empresa e se esforça para alcançar seus objetivos.

4. Curva de aprendizado menor

Outra vantagem do recrutamento interno é que o colaborador já está familiarizado com a cultura empresa. Portanto, a sua integração com a nova equipe é mais fácil e a curva de aprendizado na nova função também tende a ser menor, comparada com a de um profissional externo. Resumindo, a empresa ganha em produtividade, uma vez que esse colaborador se adapta mais rapidamente.

5. Eficácia dos processos seletivos

Já aconteceu de a sua empresa selecionar um candidato, fazer todo o processo de onboarding, treinar para a função e alguns meses depois esse colaborador pedir demissão? Ou ao contrário, às vezes os próprios gestores percebem que o colaborador não desempenha suas funções conforme o esperado. Esse risco é bem menor no recrutamento interno. Como a empresa já conhece os colaboradores e seu perfil, o índice de acerto do candidato certo para cada vaga tende a ser maior.

Cuidados ao criar um programa de recrutamento interno

Agora que você já sabe mais sobre recrutamento interno, que tal criar um programa aí para a sua empresa? Embora seja um processo muito semelhante ao recrutamento e seleção já feitos tradicionalmente, é preciso ter alguns cuidados.

Evite gerar um clima de muita competição, que possa resultar em conflitos. Também tenha cuidado para não gerar muita expectativa nos candidatos. Evidencie que eles não podem perder o foco em suas funções atuais. Procure deixar claro quais são os critérios de seleção. Assim fica claro que a escolha é uma decisão técnica e não por afinidade pessoal ou tempo de casa.

Escolha um modelo de recrutamento interno que esteja alinhado com a cultura da empresa. Existem formatos em que o gestor atual precisa aprovar a participação do colaborador numa nova seleção. Em outros casos, o profissional tem liberdade total para se candidatar para vagas internas. Mas, existe também a possibilidade de o RH ser um mediador entre colaboradores e gestores. Mas, isso já é assunto para um próximo post.

A sua empresa já possui um programa de recrutamento interno? Se desejar, você pode compartilhar conosco a sua experiência nessa área, quais modelos funcionam melhor, etc. Aqui no blog temos alguns outros posts relacionados a esse assunto que também podem lhe interessar, confira:  

Recrutamento e seleção de pessoas: uma gestão estratégica

Gestão por competência: a prática do RH moderno

Como desenvolver a liderança nas organizações e motivar os colaboradores?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *