É possível rentabilizar a gestão de pessoas em empresas de outsourcing?

Tempo de leitura: 7 minutos

gestão de pessoas em empresas de outsourcing

Realizar uma boa gestão de pessoas em empresas de outsourcing pode se tornar um problema para os gestores de Recursos Humanos. Responsáveis por apoiar o relacionamento  colaboradores que geralmente trabalham em locais fora do alcance, o acompanhamento necessário se torna muitas vezes limitado. Em um mercado extremamente competitivo, têm ainda mais um desafio a superar: a gestão de custos atrelada a essa distância.

Qual o principal desafio enfrentado pelo Diretor de RH de uma empresa de outsourcing?

Dados do Sebrae mostram que são muitos os setores que enxergam na terceirização chance de focar no core business e expandir. Destacam-se a área de serviços com 43%, construção e comércio com 41% e indústria com 33%. É um amplo mercado a conquistar! Para isso, é preciso manter a atratividade do preço do serviço oferecido a estes mercados.

Como qualquer outra Diretoria realmente estratégica, o Diretor de RH precisa  direcionar formas de aumentar o Retorno Sobre Investimento (ROI). Sem perder o rendimento e a qualidade do serviço prestado.

Qual é, então, o papel do Diretor de RH neste cenário? Apoiar os demais líderes e gestores a fazer diferente para levar ao mercado ofertas estratégicas, o que passa pela otimização da operação. Especialmente em grandes empresas de serviço, os gastos se tornam exponenciais (%). A folha de pagamento e os passivos trabalhistas representam uma significativa fatia do custo de operação.

A perda de competitividade por um fator interno, tão controlável quanto a folha de pagamento, é tolice. Apesar da atuação de diferentes agências regulamentadoras, sindicatos, etc., é possível sim mexer na operação e torná-la mais rentável. E ainda: melhorar as relações trabalhistas a partir da transparência.

Estratégias para gestão de pessoas em empresas de outsourcing

É necessário planejar e pôr em prática as melhores práticas de de Gestão de Capital Humano (Human Capital Management) para garantir que os serviços terceirizados atendam as necessidades da empresa contratante, sem onerar a prestadora de serviço. Para isso, o Diretor de RH deve incentivar e pressionar seus liderados a buscar maneiras criativas de reduzir custos, sem sobrecarregar os colaboradores.

A nível estratégico, promover alianças com fornecedores que impactam o custo operacional e clientes cuja receita recorrente (MRR) seja interessante. Em nível tático, identificando e cortando “custos invisíveis”. Ou seja: fazer a organização, como um todo, entender que a  gestão de pessoas em empresas de outsourcing significa também a gestão de custos operacionais.

Veja bem: quando pensamos em estratégias de economia para gestão de empresas, a primeira associação feita é a diminuição do quadro de colaboradores. Porém, com as ferramentas corretas, é possível manter a qualidade das entregas de qualquer serviço e reduzir custos, sem optar pelas demissões.

Para aumentar o ROI de uma empresa de outsourcing, alguns fatores devem ser considerados. A implementação de novas tecnologias, por exemplo, pode aumentar a eficiência operacional da gestão de pessoas em empresas de outsourcing. Veja dois exemplos:

1. Utilizar a gestão de ponto para evitar passivos trabalhistas

A primeira ação um tanto óbvia, mas relevante. Um bom controle de ponto é sinônimo de segurança jurídica e fiscal. Em teoria, a gestão de ponto é algo simples e de fácil aplicação. Porém, é preciso ter um bom gerenciamento para evitar problemas. Uma pequena falha pode acarretar em prejuízos para a empresa ou para o colaborador.

A gestão de ponto funciona contabilizando as horas trabalhadas, horas extras, faltas, folgas e todo período de tempo que o colaborador deve responder à empresa. Um sistema automatizado de pontos permite que essa contabilidade seja feita de forma segura e sem falhas – e com mais agilidade, facilitando o fechamento de informações para o eSocial.

Para que a gestão de ponto seja eficiente, a coleta de dados costuma ser realizada no REP (Registrador Eletrônico de Pontos) e importada para um software de tratamento de dados. Entretanto, desde a publicação da Portaria 373 do MTE, é possível utilizar sistemas alternativos de registro de ponto, como os aplicativos mobile Ahgora Multi ou Ahgora Daily. Optar por estes dispositivos ao invés do relógio ponto tradicional significa importante economia.

2. Utilizar a gestão de ponto para evitar multas por não-cumprimento de SLAs

Independente do sistema contratado, os dados são analisados e o gestor ganha mais controle sobre a produtividade de seus colaboradores, qualquer seja o porte da empresa.

Quando a gestão de ponto é feita em tempo real, é possível fazer a gestão da força de trabalho para garantir o cumprimento de Acordos de Nível de Serviço (SLAs), transferindo colaboradores entre postos de trabalho a partir das informações de folgas, afastamentos e faltas. Ou também para adequar a oferta de mão de obra à demanda de atendimento, tudo que contribui para a competitividade da empresa.  

Essa abordagem é especialmente importante no caso de terceirizadas de suporte técnico, por exemplo, que atuam com equipes volantes. Saber quem está mais próximo do local, como o trânsito ou o clima interferem neste deslocamento,  diferenciais que impactam a entrega de valor. A Ahgora oferece add-ons especialmente para este fim, como o Ahgora Live Maps ou o Ahgora Live Indoor. Mas isso é assunto para outro post.

3. Utilizar a gestão de ponto para identificar custos invisíveis

O que isso interessa ao Diretor de RH? A importância, aqui, é entender que a gestão de pessoas em empresas de outsourcing como aliada à gestão financeira da empresa. Ao incentivar a conversão de dados sobre o ponto dos colaboradores em ações de otimização de recursos, muda a forma com que os líderes dos times atuam.

Em nível tático e operacional, é possível tomar decisões do tipo:

  • Quantas marmitas encomendar, por dia, levando em conta a real percentagem de colaboradores presentes ou ausentes;
  • Qual o modelo ideal de transporte oferecido, partindo de uma estimativa real de colaboradores que se deslocam a cada unidade por dia;
  • Como otimizar a distribuição de categorias de profissional entre as unidades de atuação, de acordo com a sazonalidade da demanda;
  • Como mitigar atrasos ou faltas recorrentes, a partir dos padrões de comportamento.

Além de outras maneiras de cortar desperdícios que costumam passar despercebidos.

Como  formar empresas de outsourcing mais competitivas

A inovação está inteiramente ligada a competitividade de mercado. Empresas inovadoras são capazes de agregar valor aos seus serviços desenvolvendo e melhorando suas entregas. E isso não diz respeito, apenas, aos serviços oferecidos. Diz respeito às soluções encontradas para resolver o dia a dia da gestão.

Por isso, só é possível rentabilizar a gestão de pessoas em empresas de outsourcing o Diretor de RH que tiver em mãos informações fiáveis para tomar decisões assertivas com embasamento e, mais importante, ter insights.

A lógica é simples: gastar menos, vender mais e manter os padrões de entrega com alta qualidade. Mas utilizar a gestão de ponto para obter estes dados e cruzamentos de forma automática é uma das formas mais inteligentes de gastar menos e aumentar a margem de retorno na a gestão de pessoas de empresas de outsourcing.

Você já está pensando nas possibilidades que a gestão de pessoas focada em custos pode trazer para a sua empresa de outsourcing? Venha para a Ahgora!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *