Por que definir escalas de trabalho do restaurante?

Tempo de leitura: 4 minutos

escalas de trabalho do restaurante

Criar escalas de trabalho do restaurante é um desafio que costuma ser enfrentado pelos donos do negócio ou profissionais do departamento administrativo. Com exceção de grandes redes, normalmente, esse tipo de empresa não conta com um departamento de Recursos Humanos. Um único colaborador é determinado para cuidar do Departamento Pessoal.

Isso faz com que a criação das escalas seja feita de forma equivocada, ou não seja feita – o que pode resultar em multas ou processos trabalhistas. Por isso a criação das escalas de trabalho do restaurante são importantes e resultam em benefícios. De um lado, os colaboradores podem se programar e organizar seus compromissos pessoais. Já a empresa terá maior previsibilidade das despesas com folha de pagamento, evitando que horas extras se acumulem.

Neste artigo, vamos mostrar porque você deve criar as escalas de trabalho no restaurante e como essa tarefa pode impactar na sua gestão. Confira!

Quais são os principais desafios encontrados pelos restaurantes?

Os restaurantes enfrentam problemas que são comuns do modelo de trabalho. Entre os principais, destacamos:

  • sazonalidade: há períodos em que o fluxo de clientes é alto e em outros é baixo;
  • picos de atendimento: os horários das refeições aumentam o número de clientes;
  • horário de funcionamento: os restaurantes atendem em finais de semana, feriados e até de madrugada.

Essas situações exigem um número maior de colaboradores ou que se dediquem mais, seja por causa do horário ou por causa da quantidade de clientes. No final do mês, a empresa pode perceber uma alteração em sua despesa, por ter contratado profissionais extras ou por ter ultrapassado o horário dos colaboradores.

Além disso, cada profissional precisa ter ao menos uma folga na semana, o que pode prejudicar a empresa que não está organizada.

Por que definir escalas de trabalho do restaurante?

Definir as escalas de trabalho do restaurante garante que nem cozinha, nem salão fiquem desatendidos. E também garante que nenhum membro da equipe faça intra ou interjornada. A escala pode ser feita com base nos dias e horários de maior movimento no restaurante. Dessa forma, é possível:

  • organizar o horário para atender a todos com qualidade;
  • saber quem vai trabalhar em cada dia e horário;
  • definir os melhores dias para folgas;
  • diminuir os custos com a folha de pagamento;
  • evitar desfalques e faltas dos colaboradores;
  • reduzir a carga horária, entre outros benefícios.

O profissional sabe exatamente o dia e horário que terá que trabalhar e pode organizar seus compromissos, sem prejudicar o trabalho.

11 dicas para montar a escala de trabalho do restaurante

  1. Liste as necessidades de atendimento do seu restaurante (número de colaboradores, horário de atendimento, picos de movimento);
  2. Saiba o que as Leis Trabalhistas determinam sobre os descansos semanais;
  3. Evite escalas de trabalho com mais de 6 dias consecutivos (o excedente deve ser pago em dobro);
  4. Evite deixar os colaboradores por mais de 7 semanas consecutivas sem folga no domingo. Saiba o que diz a convenção coletiva sobre folga dominical;
  5. Fique atento às convenções coletivas dos sindicatos;
  6. Faça um levantamento dos turnos da empresa, com hora de entrada, saída e pausas;
  7. Informe-se sobre as necessidades dos colaboradores (preferência de folga, restrição de horário, etc);
  8. Cuidado ao definir diferentes turnos a um único colaborador. Respeite os intervalos interjornadas;
  9. Monte a escala de trabalho e folga de cada colaborador individualmente, deixe os folgadores por último;
  10. Depois de montar a escala, confira a grade e tenha certeza de que terá um quadro suficiente para atender as necessidades do restaurante em cada horário;
  11. Fique atento aos períodos de férias e afastamentos. Sempre que um profissional precisar se ausentar por vários dias, atualize a escala.

Você deve salvar as escalas que foram criadas, sempre que o mês finalizar. Um sistema de controle de ponto vai ajudar com essa tarefa, permitindo que você crie as escalas de folga e as deixe registradas para consultar sempre que for necessário.

Essa ferramenta torna o processo ágil e garante maior segurança para o armazenamento das informações. Além disso, o sistema informa sempre que um colaborador não estiver cumprindo com o horário que foi definido na escala, o que facilita o controle da empresa.

É o caso da Subway, por exemplo  Fernanda – gestora de pessoas das 8 lojas – optou pela instalação do ponto eletrônico e sistema Ahgora para gerenciar escalas e horas extras. Deu resultado – reduziu significativamente o custo com folha de pagamento. Quer economizar também? Recomendamos também o artigo Será que a sua empresa está perdendo por não investir em tecnologia? Confira!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *