Como a Inteligência Artificial pode transformar a Gestão de pessoas e os negócios?

Tempo de leitura: 5 minutos

Não há mais limites para as transformações que as tecnologias promovem nas empresas, em especial no departamento de Recursos Humanos. Uma das inovações que está revolucionando a forma de realizar atividades tradicionais, como seleção e recrutamento de talentos, gestão de pessoas, etc., é a Inteligência Artificial. Este foi um dos temas abordados nas palestras durante o  17 º Congresso Amazônico de Gente e Gestão, que aconteceu entre os dias 17 e 18 de maio, em Manaus (AM).

Para falar um poucos mais do impacto desta tecnologia no dia a dia da gestão de pessoas, nós conversamos com Manuel Cardoso, professor assistente do Departamento de Eletrônica e Telecomunicações da Universidade Federal do Amazonas, que atua há mais de 30 anos com Inteligência Artificial. Durante o evento, Cardoso ministrou a palestra “Inteligência Artificial e suas aplicações na gestão de pessoas e negócios”. Confira abaixo o bate-papo!

Ahgora – O que efetivamente muda nos negócios com a Inteligência Artificial?

Manoel Cardoso – O que a gente observa é que o comportamento do mercado consumidor muda com cada vez mais frequência e a própria sociedade se tornou cada vez mais imprevisível, o que fez com que necessidade por adaptação aumentasse. Ou seja, fez crescer a necessidade que a organização tem em ter respostas de forma mais ágil e rápida. Fugindo daquela estrutura tradicional engessada. Esta é uma realidade vivenciada que a gente observa nos modelos humanos de gestão, onde vemos ter necessidade de automatizar e dar condição de gestão autônoma para a própria organização.

Dar estas condições às corporações por meio Inteligência Artificial é dar a oportunidade para que elas sejam mais autônomas e eficientes, mudando as relações e atividades. Desta forma, perde o sentido do ser humano em realizar as atividades de baixo valor agregado ou que necessitam de esforço físico, e passa-se a valorizar as atividades que necessitam de análise crítica, conhecimento e capital intelectual. A Inteligência Artificial ajuda nesta capacidade de análise crítica.

Ahgora – Como a Inteligência Artificial está mudando a área de Recursos Humanos?

Manoel Cardoso – A Inteligência Artificial muda radicalmente o RH, uma vez que cada vez mais é exigido dos colaboradores uma avaliação e capacidade analítica, o que vai dar mais competência técnica e capacidade criativa ao RH. Hoje o que se tem nas corporações é uma situação de perda de conhecimento e informação, e com a Inteligência Artificial tudo se torna mais sistemático e quebra o insubstituível.

Algumas atividades repetitivas vão ser substituídas naturalmente pelos recursos que as tecnologias que estão trazendo. E, com toda certeza, as pessoas vão sair do operacional e ter um papel cada vez mais analítico. Isso já conseguimos observar nas empresas. Neste sentido o papel do RH é extremamente importante neste processo de transformação. Eu vejo mais do que nunca que essas ferramentas aplicadas na gestão como um todo e no RH pode estabelecer novos modelos, de forma criativa, para que as empresas possam responder mais rapidamente às mudanças que o mercado exige.

Ahgora – A inteligência Artificial é um recurso muito interessante. Essa tecnologia oferece algum risco aos profissionais de RH?

Manoel Cardoso – É mais uma evolução do profissional do RH. A ameaça de substituição do ser humano por modelos cibernéticos em qualquer atividade está bem longe de acontecer. Até podemos dizer que isso pode acontecer, mas não será nem a médio ou curto prazo. Afinal, ainda existem desafios tecnológicos a serem superados. E o ser humano traz como grande diferencial a inteligência, capacidade crítica e analítica e estas não serão substituídas.

Ahgora – Como que esta tecnologia pode mudar o dia a dia do RH, especialmente quando falamos em Gestão de Pessoas?

Manoel Cardoso – Algumas empresas já usam as estruturas de dados, de informação, para avaliar não só os perfis dos colaboradores mas também seus desempenhos; utilizando ferramentas de analytics é possível identificar padrões de comportamento. Os chamado Big Datas e Analytics auxiliam a reconhecer perfis e comportamentos, o que impacta positivamente na gestão de pessoas.

Ahgora – Como que a Inteligência Artificial pode transformar os negócios?

Manoel Cardoso – De muitas formas. Por meio destas ferramentas analíticas e das bases de dados é possível os processos, automatizar atividades, e ainda identificar padrões que caracterizem possibilidades de melhorias, otimizando estes recursos e as empresas mais competitivas.

Ahgora – E na sua opinião, qual o papel do ser humano diante deste cenário de transformação impulsionada pelas tecnologias?

Manoel Cardoso – Existe uma coisa muito importante para as organizações que é a questão da liderança que tem o objetivo de nos levar a ações colaborativas nas empresas. E que apesar de todas as vantagens que tecnologias como a Inteligência Artificial, Big Data, Analytics trazem para o ambiente corporativo, nunca se deve deixar de perceber que existe um potencial enorme na atividade humana em qualquer empresa, que é o potencial intelectual. Vale destacar que é necessário trabalhar este ser humano para aprimorar mais este potencial, para que ele se torne mais analítico “no que faz” e no “como faz” e entenda as razões do “porque faz”. Assim é possível dar às organizações um novo entendimento e educação aos colaboradore do ponto de vista do empreendedorismo, em busca de aplicar o seu conhecimento. Esta é uma mudança filosófica e cultural e o RH vai ter que fazer esse papel de forma competente para as empresas que queiram se manter em constante evolução e competitivas.

E a sua corporação, está investindo em tecnologias para gerar melhores resultados ou ainda está resistente às transformações? Conta pra gente nos comentários.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *