Como gerir colaboradores intermitentes e colaboradores temporários?

Tempo de leitura: 4 minutos

 colaboradores intermitentesDurante a crise o consumidor fechou a mão e reduziu as compras, mas tudo indica que o pior já passou. As vendas do comércio voltaram a crescer e a expectativa é que o ano seja de recuperação. Com a volta às compras a sua empresa já sentiu a necessidade de ampliar o time para atender a demanda? A contratação de colaboradores intermitentes e temporários pode ser uma ótima saída.

Entenda como funcionam os novos regimes de contratação

A Consolidação das Leis do Trabalho (CLT) foi criada há mais de sete décadas. Portanto, não é de se estranhar que alguns aspectos não tenham sido contemplados em sua primeira versão. O objetivo da reforma trabalhista foi adaptar a legislação para a nova realidade brasileira. Isso inclui a contratação de colaboradores temporários e intermitentes.

O que são colaboradores intermitentes?

É um formato de trabalho em que empresa e colaborador estabelecem um vínculo empregatício e o profissional tem garantidos os direitos trabalhistas. No entanto, a rotina de trabalho é pontual, para atender necessidades esporádicas. A empresa deve comunicar as demandas ao colaborador intermitente com no mínimo três dias de antecedência. O profissional tem o direito de recusar o chamado, mas caso não responda e não cumpra a solicitação será considerado abandono de trabalho.

Importante: A empresa deve registrar as atividades na Carteira de Trabalho e incluir o valor da hora de trabalho ou diária, local das atividades e prazo para o pagamento dos serviços. Além disso, para cada trabalho realizado o colaborador intermitente deverá receber o valor proporcional de férias e 13º salário.

O que são colaboradores temporários?

É o formato de trabalho em que a empresa contrata um profissional para substituir um colaborador permanente. A contratação de colaboradores temporários é muito comum em caso de afastamentos, licenças e férias. Além disso, também é muito comum para atender demandas sazonais, como períodos de alta demanda do comércio (Páscoa, Natal, Dia das Crianças, etc).  

Importante: Para contratar um colaborador temporário é preciso recorrer a uma Empresa de Trabalho Temporário (ETT) que seja homologada pelo Ministério do Trabalho e Emprego. Com a reforma trabalhista o contrato temporário pode passar de 90 para 120 dias. Este prazo pode ser prorrogado uma vez para um período igual ao inicial.

Leia mais: Gestão e acompanhamento de equipes: tecnologia para facilitar a rotina  

Vantagens de contratar colaboradores intermitentes e temporários

Agora que você entendeu como funcionam esses dois formatos de contratação, já deve estar pensando em como colocar em prática no seu comércio. Os intermitentes e temporários podem ser contratados para atuar tanto em vendas, como caixas, estoque e outras funções – inclusive gerência ou supervisão.

Listamos abaixo algumas vantagens de contratar colaboradores temporários e intermitentes:

 Intermitentes e Temporários

  • Suprir a necessidade de profissionais em períodos de alta demanda;
  • Garantir a operação em períodos de baixa demanda sem onerar a folha de pagamento;
  • Manter a qualidade do atendimento sem sobrecarregar os colaboradores;

 Intermitentes

  • Contratar profissionais que não têm interesse
    ou disponibilidade para atuar como CLT;
  • Aproveitar melhor o tempo que colaborador intermitente está à disposição da empresa;

 Temporários

  • Redução de custos trabalhistas, pois quando o desligamento é feito no prazo não é necessário pagar aviso prévio e multa do FGTS;
  • Não há necessidade de pagamento de benefícios, como plano de saúde e odontológico ou participação nos resultados;

Como gerir colaboradores temporários e intermitentes?

Um desafio comum para quem já contrata colaboradores temporários e intermitentes é a gestão desses profissionais. Se esse era o motivo que lhe impedia de contratar em outros formatos, suas desculpas acabaram. Já existem softwares especializados em gestão de ponto, que permitem fazer o acompanhamento da jornada de trabalho em tempo real.

Leia mais: 6 negócios que otimizaram processos utilizando software de gestão de ponto

Com um sistema de ponto eletrônico é possível atender diferentes necessidades. Tanto o RH, quanto o financeiro, gestores e líderes podem acompanhar os registros de jornada. Mas, não é só isso, com a aplicação fica mais fácil cumprir as demandas do eSocial no prazo previsto. Desde o preenchimento do cadastro dos colaboradores, até a exportação de dados para a folha de pagamento.

Resumindo, com o auxílio de um software de ponto eletrônico você terá:

  • Informações atualizadas em tempo real
  • Integração de dados
  • Redução de custos e riscos trabalhistas
  • Garantia de segurança das informações
  • Aumento de produtividade
  • Transparência nas relações de trabalho

Quer saber mais sobre o ponto eletrônico da Ahgora? Solicite uma demonstração aos nossos consultores. Se você gostou deste post, leia também o artigo: Como se preparar para o eSocial: 3 passos para simplificar a atualização.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *