Acabe agora com as fraudes na Gestão de Servidores Públicos da Saúde

Tempo de leitura: 1 minuto

ponto-eletronico-biometrico-saude-susO sistema biométrico de ponto esta sendo adotado por diversas empresas e órgãos públicos com o objetivo de tornar mais fiel a anotação da jornada de trabalho de cada empregado ou servidor.

Entretanto, tornou-se comum a prática de fraude do sistema de ponto biométrico, sobretudo por servidores da área da saúde que comumente cumulam outras atividades aliadas aquelas prestadas em estabelecimentos públicos.

Um exemplo bastante corriqueiro é a utilização de dedos de silicone com a biometria de cada empregado/servidor.  A fraude consiste na utilização do ponto biométrico por apenas uma pessoa, que comparece as atividades portando a biometria de outros colegas de trabalho que sequer comparecem as atividades.

Recentemente se teve notícia de uma médica do SAMU do Município de Ferras de Vasconcelos, interior de SP, que acabou sendo presa e responde inquérito policial, acusada de burlar o sistema de ponto biométrico. Com os dedos, ela “assinava” o ponto de presença de funcionários que não apareceriam para trabalhar. Outros casos de fraude, cometidos nos mesmos termos estão sendo divulgados em mídia para salientar e coibir os riscos desta prática.

É importante salientar o risco da prática de utilização de biometria de silicone e outras condutas que objetivem burlar o sistema de ponto.

O Ministério Público poderá fiscalizar a correta anotação do ponto pelos servidores para investigar a existência de possíveis fraudes.

Os servidores públicos que fraudarem o sistema de ponto podem ser indiciados em âmbito civil e administrativo por ato de improbidade administrativa, podendo inclusive sofrer a exoneração de seus cargos.

Em esfera penal, podem responder criminalmente por formação de quadrilha, falsidade ideológica, peculato, dentre outros crimes atinentes ao exercício de funções publicas, cabendo inclusive a prisão provisória ou temporária  dos servidores acusados.