3 Lições que o mundo esportivo tem a ensinar ao corporativo

Tempo de leitura: 4 minutos

patrocinio-atleta-ahgora-sistemasComo sair do lugar comum dentro de um mundo corporativo cheio de regras, hierarquias, modelos de gestão e liderança distintas?

Hoje o discurso tem sido muito mais em prol da valorização das pessoas, motivação, autonomia, trabalho em equipe, reinvenção e descentralização do poder.

Atualmente, o mundo corporativo abriu portas para outras influências, e as metáforas do mundo esportivo cabem como uma luva e têm sido exemplo em muitas organizações.

Dentro desse novo olhar, a Ahgora iniciou em 2016 dois projetos: apoio a um colaborador triatleta em provas de Triathlon; e integração de toda a empresa para atividades de ginástica laboral.

A cada prova realizada do Fabricio Abido Camargo, 37 anos, Engenheiro de Desenvolvimento de Hardware da Ahgora Sistemas, uma nova meta é superada. A cada encontro dos funcionários para exercitarem-se, um novo ensinamento é dado. Iniciativas nas quais aprendemos lições valiosas.

Apesar de ser Triatleta há apenas 3 anos, Fabrício pratica esportes de endurance há mais de 20 anos ininterruptos.

Iniciei no triathlon por curiosidade, queria experimentar como era participar de uma prova de Ironman. Para mim parecia interessante nadar 3800m, pedalar 180,2km e depois correr 42km, tudo isso de uma só vez!”, diz ele.

Vamos compartilhar com você, como nós da Ahgora aprendemos 3 lições valiosas do mundo esportivo do Fabricio Abido.

 

1ª lição – FOCO A LONGO PRAZO

Fabrício tem sido muito focado em suas metas para 2016.

Metas do Triatleta para 2016

Os bons resultados obtidos nas várias provas de 2015 fizeram o triatleta sonhar mais alto.

Me motivei a levar os treinos mais a sério e decidi não apenas participar de provas, mas neste ano competir pra valer e buscar algo mais do esporte na minha vida”,  diz Fabrício.

Ironman Florianópolis 2016 é uma das competições que mais exigem de um triatleta no Brasil, é preciso ter muita força de vontade, disciplina e persistência. O objetivo do nosso triatleta é atingir um bom índice para participar do campeonato mundial de Ironman, no mês de agosto, em Kona no Hawaii.

Com as metas definidas, o ano começou bem para Fabrício.

No inicio de fevereiro participou da primeira etapa do circuito 3BY1, conquistou a 2° colocação.

Em março participou da Meia Maratona de São José, onde conquistou a 1ª colocação.

Na primeira semana de  de abril,  Triathlon Longo de Jurerê, prova válida pela segunda etapa do Campeonato Catarinense de Triathlon, conquistou o 1° lugar.

Próxima prova antes do Ironman Brasil 2016

Em 17 de Abril,  Paranaense de Longa Distância em Caiobá – Distância de Meio Ironman, também conhecido por 70.3, (nadar 1900m, pedalar 90km e correr 21km).

 

2ª lição – Vitórias e derrotas diárias

É justamente nas vitórias e derrotas diárias que estão os maiores aprendizados a serem vivenciados, tanto no mundo corporativo como no esportivo. A metáfora do esporte é uma ferramenta fantástica para ser utilizada no universo empresarial. A interação entre esses dois mundos é um excelente caminho.

Tanto no mundo corporativo quando no esportivo, é comum a presença de momento de vitórias e derrotas. Momentos pelos quais cada ser humano avalia seus pontos fortes e fracos.

Para quem vive no esporte, aprende logo cedo que é impossível ganhar tudo. Com isso, a capacidade para reagir a situações adversas, saber trabalhar sob pressão, em equipe, entre outros atributos, passa a ser uma característica marcante desse segmento. Nesse sentido, a altíssima competitividade do universo corporativo faz com que a interação entre esses dois universos possa criar uma grande sinergia, obtendo resultados extremamente positivos para ambos os lados.

Vitórias são conseguidas por meio de uma perfeita harmonia entre todos os membros de uma equipe. São das imperfeições, derrotas e conflitos que nascem as grandes vitórias, aprendizados e crescimento pessoal.

 

3ª e última grande lição – Executar e Acreditar

Segundo Rafael do blog “Relatos de Resistência”, treinar funciona, isso é óbvio. No entanto existem duas coisas que produzem excelentes resultados. Uma é execução, e outra é acreditar.

Saber executar é uma coisa que demora, que vem aos poucos. É ter foco o tempo todo. Trabalhar a mente é de extrema importância no processo de aprimoramento, é ser resiliente e persistir a cada etapa.

Acreditar é saber que o sonho é possível e no que é preciso estimular para criar motivação dia após dia.”

Rafael Pina Pereira via BLOG “Relatos de Resistência

Para Fabrício – “O que me motiva? Dia após dia, acordo motivado a treinar, mais e mais, melhorar para vencer o único e verdadeiro adversário, eu mesmo.

Agradeço muito a Deus pela oportunidade que estou recebendo. Também à minha família pelo apoio de sempre e obrigado á Ahgora Sistemas pela confiança. Vamos em frente!”

 

Fabricio tem o apoio de:

@ahgorasistemas @3tsports @iaorana @ironmind
#ahgora #euuso3t #iaorana #ironmind

 

Texto de Aline Mourão com participação de Fabrício Camargo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *